Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Guilty Pleasure

My Guilty Pleasure

Quem Tem Brio Não Tem Frio

Gosto destes dias de Inverno onde o tempo não obedece rigorosamente ao calendário e também há luz e cor. São dias que me ajudam a preencher a alma, dias em que a brisa menos suave e mais agreste não é mais forte do que a minha vontade de calcorrear as pedras da calçada da cidade onde moro e de rodopiar sobre mim própria ou sobre todos aqueles que me mostram sorrisos quase tão belos como o céu matinal pintado pelo solstício que se aproxima.

Nestes dias em que o frio não é muito frio, adoro testar a paciência do inverno e provar que nem ele consegue entorpecer as minhas mãos quando as coloco em pala e prescruto o horizonte até onde a minha vista alcança, em busca daqueles meus sonhos que são cada vez mais inadiáveis, mas que as circunstâncias do dia a dia me têm arranjado sempre uma desculpa para os deixar guardados de lado e mortiços.

Quem tem brio não tem frio, já dizia a minha avó, descrita por algumas conterrâneas e contemporâneas como a menina mais fina, delicada e vaidosa da rua onde viveu mais de meio século. E em dias iguais aos de hoje lembro-me sempre dela e das palavras sábias dessas senhoras que insistem em encontrar em mim parecenças com ela, porque, de manhã, ao remexer no meu closet, procuro sempre a melhor forma de a homenagear.

-Avó, espero hoje ter conseguido!

winter look 2.jpg

Stop smoking...

 

Vai uma gaja ao escritório do outro lado da cidade tratar de uns afazeres e acende uma luz amarela no cérebro!
Falta tabaco! Abrando em frente ao café, não há estacionamento e carro da GNR mesmo em frente à Óptica... Siga, compro nas bombas. Carrinha a trabalhar, entro cheia de pressa e deparo com duas raparigas vistosas, quase tão bonitas como eu e bem arranjadas, finjo que nem reparei, querem-me vender alguma coisa, pensei eu.
Bingo! À saída sou barrada! Aquelas unhas arranjadas, o batom, o rimel, o sorriso, tudo armas de persuasão usadas na técnica de venda.
Boa tarde, blá blá blá cartão solidário e blá blá blá em alta rotação, retorquindo eu com uma frase firme: Estou cheia de pressa! 
- Claro, não demora nada, já conhece a Apav e o Crescer e o Sorriso Solidário e blá blá blá acelarado... Respondo eu:
- Conheço a minha cidade e mal!
- Blá blá blá... e eu a pensar: estás a falar para o prima e os vizinhos a gravar.
Diz o funcionário atrás do balcão: Ajuda, deixa de ser forreta. 
O blá blá blá continua até que chega a parte do não custa nada, não tem fidelização nem custos adicionais, é só vantagens! 
Eu penso: estou farta de ouvir isso e lixo-me sempre!
Passou para a parte, só tem que pagar agora 10 € e dizer-me o primeiro e ultimo nome.
- Não tenho aqui dinheiro comigo...
- Não faz mal, paga com o cartão.
- Dasss penso eu. 
Puxo da carteira e dou-lhe os 10 €.
- Diga-me então o seu nome?
- Sarna!
- Concerteza esse não é o seu nome!
- Pois não, é o seu!...
Conclusão, tenho que deixar de fumar!!

Today's Christmas Lunch

Estamos em plena silly season de almoços e jantares de natal, patrocinados por firmas, empresas, escritórios, gabinetes e afins e, para ser honesta, deprime-me um pouco o modo como a esmagadora maioria de nós escolhem o outfit para tal evento. É óbvio que uma coisa é ir a um almoço e outra ir a um jantar e não terá o mesmo efeito assapar o rabiosque na pizzaria da esquina ou numa tenda devidamente calafetada instalada à pressão num jardim qualquer, abastecida por uma empresa de catering manhosa que até estava a precisar de passar umas faturas extra antes que o exercício do ano encerrasse, ou então na marisqueira mais in da cidade.

Seja como for, independentemente do local e do grupo de amigos e colegas de profissão, não é preciso usar sempre, sempre e sempre algo que seja vermelho! Acaba por ser monótono e repetitivo tal espécie de etiqueta dresscode e pessoalmente, como inverno e natal até colidem e coabitam temporalmente, acho que tons mais frios e terra, mas que não deixam de ser sedutores e de conter uma certa aurea de mistério e profunda feminilidade, são também excelentes opções. Este ano, vou levar daqui a pouco com um belo de um almoço e como também está a ser dia de trabalho, por baixo de um três quartos de fazenda preto quentinho, com pelinhos na gola, o meu outfit é mais ou menos este... What about?!

 

 

USB memory

É quando menos se espera que somos brindadas com algo inesperado e que nos faz reavivar memórias tão boas e que julgávamos já esquecidas. E nesta era do digital, até parece mais fácil e acessível conseguir ir a baus que fazem-nos recuar algures até a um passado, talvez assim não tão distante quanto isso, mas que por nos ter deixado tão gratas recordações, acaba por provocar em nós um forte sentimento de melancolia e desejo de entrar numa máquina do tempo até um dia bastante específico.

Portanto, se não é a memória que conscientemente resolve, em determinado momento, suscitar-nos um regresso ao passado mais ou menos claro, há eventos fortuítos que o fazem com notável nitidez e colocam-nos bem no zénite desse tal dia, nomeadamente quando se encontra uma pen USB perdida numa gaveta onde seria impensável estar guardado tal objeto. Num primeiro instante não se identifica o seu conteúdo mas, como é óbvio, não se resiste à tentação de espreitar o mesmo. Neste exercício arriscado de satisfação da curiosidade que há pouco pratiquei, acabei por encontrar alguns excertos de um dia em que realizei um dos meus maiores sonhos. Fica um desses excertos...

USB rewind - memórias de um sonho concretizado.

 

Beach House - Girl Of The Year

Resultado de imagem para beach house sexy band scally legrand

Gosto muito dos Beach House, um grupo formado pela francesa Victoria Legrand e pelo norte americano Alex Scally. Têm um disco novo chamado 7, o sétimo trabalho deles e ontem, ao fim do dia, lá consegui um tempinho para ouvi-lo. Adorei o álbum todo, tem uma sonoridade muito contemplativa, preciosa e bela e fiquei absolutamente maravilhada com uma canção chamada Girl Of The Year. O tema é um verdadeiro hino a nós mulheres! Além de ser uma canção envolvente, sensual e mágica, tem uma letra intensa, tremendamente feminina e que apetece mesmo encarnar, ou seja, deixarmo-nos, nem que seja por uma noite apenas, conduzir-nos pelo poema e seguirmos as suas instruções, fazendo exatamente o que ele diz. Ouçam...

 

You slide out on Sunset
Head west on Marest
On your own
On your own
 
Get dressed to undress
Depress to impress
All night long 
All night long
 
Turn on the TV
They all want to see me
Come undone
Come undone
 
Pick all the petals
Off of the daisies
One by one
 
The feeling's here
The pattern caught in a falling tear
And in the ways
One goes and the other one knows
 
The feeling's here
(She wore) The pattern caught in a falling tear
(Too soon) And in the ways
One goes and the other one knows
 
Baby's gone
All night long
Baby's gone
All night long

Trespassa e dói...

Nem todos os dias são iguais, felizmente, e o que os distingue, tantas vezes, é o diferente grau e amplitude de emoções que eles nos provocam. E essa sensação aumenta exponencialmente quando pensamos nos nossos maiores desejos e sentimos o nosso coração apertadinho perante a evidência factual e inverossímil da incapacidade de colocar alguns deles em prática.

Tenho um desejo secreto, desde sempre, e hoje é um daqueles dias em que a dor que me provoca a certeza da sua impossível concretização me trespassa e me fere até ao recanto mais profundo do meu âmago...

 

O busílis...

Às vezes entristece-me o facto de serem poucos aqueles que entendem a necessidade que tenho de, regularmente, abandonar este casulo que por vezes me sufoca, para poder ser, mesmo que esporadicamente, uma encarnação mais assertiva e concreta do meu próprio eu. No entanto, admito que não me posso queixar em demasia porque tenho a sorte de poder partilhar todos os meus anseios sem ser recriminada e, também por isso, valorizo imenso quem sabe bem daquilo que falo e conforta-me ter a noção de estar em tão boas mãos tal conhecimento.

É intrigante tentar compreender porque razão a natureza nos oferece tantas vezes uma máscara que depois confirma-se não servir, sem que pudessemos trocá-la entre nós, nem que fosse só por breves instantes, qual cromos de uma caderneta bastante requisitada, para podermos também experimentar aquela máscara, o outro lado e, consequentemente, aquele fato que realmente nos serve e melhor se ajusta aquilo que fervilha bem no fundo do nosso âmago. E depois, quando se vê uma luz ao fundo do túnel, um simples ponto cintilante cuja perceção é mais do que suficiente para, de algum modo, colmatar com elevada eficácia estas nossas lacunas, acaba por ser difícil lidar com a pouca disponibilidade que a situação suscita, havendo dias em que tal carência se torna de certo modo insuportável, confesso... Seja como for, não deixa de ser reconfortante tal partilha.

spring 22.jpg

Vício matinal.

Tenho uma enorme dificuldade em encontrar uma melhor forma de começar um longo dia de aborrecidas e intensas reuniões de trabalho sem ser com um chá relaxante e purificador, de preferência de cidreira ou camomila, os dois extratos no meu topo de preferências. Acreditem que só depois fico verdadeiramente pronta para todos os desafios que me esperam. E tu? Tens um vício matinal que te ajude a ligares o teu interruptor interior ou não precisas?!

 

Hoje a minha melhor amiga faz anos.

Hoje a minha melhor amiga faz anos e, por isso, o dia vinte e sete de março não é para mim um dia qualquer ou igual a tantos outros que passam despreocupadamente pelo geralmente aborrecido calendário da minha vida, sem deixarem qualquer impressão ou marca que os torne menos indeléveis e distintos que os outros. E aquela que comemora hoje mais uma primavera, além de ser a minha melhor amiga é, também, a minha única verdadeira amiga, razão pela qual não posso deixar de homenageá-la publicamente neste dia tão especial.

Além de mãe e esposa dedicada, ela é uma profissional excelente, apesar de subvalorizada no seu ramo e tem um bom gosto extraordinário relativamente a muitas coisas com as quais me identifico particularmente, não só relacionadas com moda, mas também com futebol e culinária, ou arte e literatura, por exemplo. Ela moldou, pacientemente e ao longo de vários anos, aquelas que são algumas das minhas características essenciais e definiu, com paciência e arte, não só muito do meu estilo como grande parte da minha personalidade.

Ela é, claramente, o verdadeiro paradigma daquilo que deve ser, na minha opinião, uma mulher ativa, moderna e bem sucedida e continua a funcionar para mim como uma espécie de modelo, mesmo nas situações em que, por força das nossas diferenças, parecemos ter modos de pensar e de ser completamente opostos.

Parabéns, querida amiga! Que os anos continuem a passar por ti com essa ligeireza habitual e que sejam sempre contados com o sorriso no rosto que tão bem te carateriza. Que esse brilho no olhar que nunca te larga, mesmos nos instantes mais melancólicos e contemplativos, também nunca desvaneça. Que os teus anos futuros continuem a ser anos felizes e vividos em plenitude, páginas que vão-se fechando e abrindo como uma leve e delicada brisa que em vez de te desgastar, apenas molda e aperfeiçoa tudo aquilo que guardas dentro de ti e que faz de ti uma das pessoas mais bonitas à face da terra.

Obrigada por tudo, minha melhor amiga!

2 girls.jpg

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

  • Quem tem brio não tem frio.

    08 Fevereiro, 2018

    Gosto destes dias de Inverno onde o tempo não obedece rigorosamente ao calendário e também (...)

  • Adoro os anos vinte.

    29 Setembro, 2017

    Adoro os anos vinte! Foi uma época onde reinou a loucura de viver, uma década de (...)

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub